domingo, 25 de abril de 2010

Você ainda esperaria o amor ?



"As fotos já estão rasgadas
As lágrimas já foram roladas
As "culpas" já foram desculpadas."






Ela esta sentada na frente do seu computador
realizando uma das coisas que a faz ter um pouco de paz.


A Lareira esta acesa
Uma musica calma invade o ambiente 
A deixando muito mais sensível .


Ela ajeita o óculos em seus olhos,
ela larga o teclado, presta atenção na letra da musica de fundo
ajeita seu casado e cruza os braços como se estivesse esperando acontecer algo.


Ela sente um perfume no ar,
 aquele que a confundi tantas veses.
ela sente paz, mas ao mesmo tempo seu coração dispara.
Ela parece entrar em "desespero"...


Ela solta os braços e fica de pé.
Começa a procurar a fonte de seu "desespero".


Caminha lentamente até a porta da frente,
Segura a maçaneta durante alguns instantes, ali, ela consegue sentir aquele perfume cada vez mais forte.
Sem coragem, ela se afasta um pouco da porta.


Calmamente, vai em direção a janela...
Matando sua curiosidade...
" Está ali, eu sabia... É ele" ela pensa.


Ela verifica mais uma vez, e não há mais nada.


Ele vai embora sem nem mesmo bater a porta.
indignada e confusa, ela abre a porta pra saber se não era coisa de sua cabeça...
Encontra de baixo de seus pés, uma envelope branco.


Ela abre, meio sem prestar atenção, achando que é uma carta qualquer...
Tentando o achar em algum canto escondido. 
No fundo, mesmo, era a esperança de que ele ainda estivesse ali.


Após abrir a carta.
Seu estômago pareceu dar um nó, faltava o ar para respirar.


-" Estou partindo, te amei como nunca amei ninguém, vá ao parque, algo em nossa arvore favorita á espera. Escreva uma carta, onde diga tudo o que sente.
adeus".


Lhe faltou coragem durante alguns dias...
Suas palavras, que antes pareciam tão fácil de se transformar em lindos textos, pareceram se intimidar.


Enfim, embaixo da arvore, lá estava...
Uma caixa escrita: Abrace-me.
Ela abriu, sem muito a entender, e lá estava outro envelope branco.
Dessa vez dizia:


-" Procure mais um pouco".


Ela parou durante alguns minutos, deu uma risadinha esperando que ela fosse encontra-la.


Levantou-se e procurou mais um pouco pelo parque, mas não saiu de baixo da tal arvore.
E então, ela sentiu seus pés batendo em algo...


-" Mais uma caixa". -Ela pensou.


Alí estavam todas as coisas que ela o dera.
As lágrimas rolaram mais uma vez...


Ela foi para sua casa, guardou todas aquelas coisas dentro de uma caixa e a enterrou.



As fotos já estão rasgadas
As lágrimas já foram roladas
As "culpas" já foram desculpadas.



Meses depois...
Tudo voltou, da mesma maneira que já tinha acontecido naquele dia que em sua vida tudo mudou...
Desesperada até a porta correu.
Outro envelope ela encontrou...
Brava, chateada, magoada ela estava, mas mesmo assim, abriu-o .


-" Você não me abraçou".


Ela correu procurar a caixa, não sabia onde enterrou.
Encontrou-a e procurou algo que a fizesse entender por que tudo acabou...
Por que ele a deixou...


Lá estava, ela o encontrou...
Uma caixinha preta... e dento dela tinha um bilhete que dizia :


-" Eu te amo, te espero me encontre... Case-se comigo...
E se você não vier amanha, eu a esperarei aqui...
De baixo da nossa arvore de amor.


Ela pegou seu anel e ali orou.


Sim, no outro dia ela o encontrou
Sim, ela o amou.
Sim, ele a esperou!


Me diz se você ainda esperaria o amor ?.







7 comentários:

Edimar Jr. disse...

o.o Que Lindo! Nossa mais um pouco eu era capaz de chorar oO... Muito Lindo o Texto Beest! ♥

lucas disse...

*-----*

Wilian Bincoleto Wenzel disse...

Linda história! ( :

Do começo ao fim, foi totalmente intensa!

;*

Dyego#09 disse...

História realmente tocante, eu acho até impressionante a qualidade dos textos dessa escritora. Parabens Vilin.. (sem deixar os outros com inveja, mas eu ouvi essa historia dos labios "dela".)

MireliSantana disse...

Oun. Amei o blog *------------*
Seguindo. Segue tbm?
http://www.deesneeurando.blogspot.com/

nyle_eternity disse...

olá, sigo com maior prazer o seu blog!
parabéns!

taio disse...

superb

Postar um comentário